Numa altura em que “Amar Demais” se prepara para iniciar a segunda temporada, as emoções estão ao rubro. A vida de Ema não tem descanso e acaba por reencontrar o homem que lhe fez mal no passado, Arnaldo. Veja como tudo vai acontecer:

Após o teste de ADN entre Ema e Joana dar negativo, a protagonista fica muito abalada. Esta assume ter de aceitar que a filha morreu no sismo no Faial. Acaba mesmo por tentar reaproximar-se da filha de Célia. Por outro lado, a jovem também pede desculpa pelas reações da vilã.

De seguida, quando está na rua com Zeca, ambos avistam Evelina e vão ao seu encontro. A escritora vem acompanhada de dois seguranças e… Arnaldo! Ema fica de imediato perturbada e o tio de Zeca empurra-a. «Eu não fiz de propósito. Longe de mim fazer mal a uma flor como você» afirma o empresário num tom maquiavélico.

Numa altura em que “Amar Demais” se prepara para iniciar a segunda temporada, as emoções estão ao rubro. A vida de Ema não tem descanso e acaba por reencontrar o homem que lhe fez mal no passado, Arnaldo. Veja como tudo vai acontecer:

Após o teste de ADN entre Ema e Joana dar negativo, a protagonista fica muito abalada. Esta assume ter de aceitar que a filha morreu no sismo no Faial. Acaba mesmo por tentar reaproximar-se da filha de Célia. Por outro lado, a jovem também pede desculpa pelas reações da vilã.

De seguida, quando está na rua com Zeca, ambos avistam Evelina e vão ao seu encontro. A escritora vem acompanhada de dois seguranças e… Arnaldo! Ema fica de imediato perturbada e o tio de Zeca empurra-a. «Eu não fiz de propósito. Longe de mim fazer mal a uma flor como você» afirma o empresário num tom maquiavélico.

Ema foge do local e Zeca ainda tenta alcançar a amada, sem sucesso. Acaba por ficar a discutir com Evelina, mas Arnaldo avisa-o para ficar longe da mulher.

Por fim, quando chega a casa, a mulher de Raul recorda o momento de terror que viveu há 17 anos. Ainda pensa em contar a Zeca quem foi o responsável pelo abuso, mas fica com receio que o ex-presidiário tente fazer justiça pelas próprias mãos.