Com a relação com a mãe a deteriorar-se, Luís decide falar com Evelina sobre o seu passado e do irmão, contando-lhe de que Vanda asfixiou o próprio filho.

De imediato, Evelina tenta convencer o filho da amiga a escrever um livro sobre o assunto, mas Luís percebe de que a escritora só quer vingar-se da mãe e então decide ir para casa. Dias depois, Luís encontra-se cada vez mais inquieto por guardar um segredo tão forte e grave e aproveita uma conversa com Ema para desabafar tudo.

O filho de Vanda começa por demonstrar o seu apoio incondicional à proposta de Ema assumir a presidência do instituto de doenças raras e revela-lhe que nem todas as mães conseguem aguentar o peso de ter um filho deficiente. Ema acha aquela conversa estranha e Luís vai mais longe, revelando que Vanda asfixiou o seu próprio filho porque este era deficiente.

Ema fica apavorada por desconhecer por completo o carater da amiga, ainda por cima ter deixado Zequinha à guarda dela todos os dias. Completamente revoltada, Ema procura Vanda e acusa-a de ser uma assassina como Raul. Vanda tenta defender-se, afirmando mais do que uma vez de que Luís está a mentir e de que Ema só se quer aproveitar do que o seu filho inventou para se apoderar da presidência do instituto.