A SIC não tem dado descanso a Renato Godinho. Em quatro anos, o ator fez cinco novelas. Agora, Renato pode ser visto em "Amor, Amor" como o divertido Vítor.

O ator está muito feliz por estar num registo totalmente diferente. "Sinto-me muito bem no registo dramático, de grande densidade emocional, mas queria sair disso", explica. Em declarações à revista Telenovelas, Renato Godinho salienta a necessidade de "mostrar que sou ator para fazer todos os registos".

Por outro lado, a construção da personagem não se tratou de um processo nada fácil, mas já tinha uma ideia concreta do que queria. "Assim que me falaram que ia ser cómico e era presidente da Junta de Freguesia e comandante dos bombeiros, não sei porquê tive logo o impulso de o tornar gago. Depois tentei fazer uma construção da personagem em casa, mas ao principio não conseguia, foi frustrante", esclarece.

Na área cómica, Renato Godinho destaca que a maior dificuldade é "não cair no erro que, se estou a achar graça, as pessoas também vão achar". O ator afirma que o que é importante é que "gosto muito de trabalhar".

Já sobre "Terra Brava", novela ainda também em exibição, Renato reconhece a densidade da personagem. "Foi ótimo. Gosto muito de fazer personagens desafiantes ao nível emocional, que empurram para situações que nunca experimentei. Ele é profundamente deprimido, depressivo, com tendências até suicidas", refere.

Por último, Renato afirma que consegue separar a vida pessoal da personagens, "resolvo no plateau". O ator considera que o mais importante é  "arriscarmos tudo", durante a "cena".