Ljubomir Stanisic revelou sobre o processo que o levou à SIC. Em entrevista ao programa “Júlia”, o chef explicou que “rompeu o primeiro contrato na vida” porque “lhe foram diretos ao coração”.

O acordo foi selado na casa do Ljubomir, no Alentejo, com os responsáveis da estação de Paço de Arcos. Esta foi a condição para a negociação. "Mandei uma mensagem aos dois a dizer que só me sentaria com eles se comessem e bebessem na minha casa", refere a antiga estrela da TVI.

O chef refere que já tinha sido convidado várias vezes pela SIC e reafirmou que “não foi o dinheiro aquilo que mandou em mim”. A razão era o cumprimento do contrato então em vigor com a estação de Queluz de Baixo.

A credibilidade do grupo Impresa, ao qual pertence a SIC, foi elogiada por Ljubomir. “Para mim, o grupo SIC é idóneo. O jornalismo é idóneo. Não recebem jantares à borla. Os jornalistas da SIC, da Visão e do Expresso vêm cá [ao seu restaurante, Bistro 100 Maneiras] e pagam as refeições. Não vêm por convite fazer crítica. É uma coisa que eu muito respeito”, esclarece.

Ljubomir Stanisic assumiu o compromisso com o projeto da SIC. "Sou o maior soldado que podem ter. Levo o trabalho muito a sério", disse o antigo apresentador do “Pesadelo na Cozinha". O chef afirmou ainda, em relação à sua principal área laboral, que “sou uma besta na cozinha no bom sentido”.

Ainda sem nenhum projeto estreado no canal desde a sua contratação, o cozinheiro vai estrear este ano a versão portuguesa de “Hell´s Kitchen”.