Aos 22 anos, Júlia Palha é uma referência para os jovens da sua geração e, na próxima novela da SIC, interpreta o papel de Fátima, uma jovem serrana que vive um tórrido romance com José Mata.

Prestes a surgir na casa dos português nos serões da SIC, com a novela “A Serra”, Júlia Palha conversou em exclusivo com a TV 7 Dias sobre o seu novo desafio profissional, o peso de ter sido uma aposta de Daniel Oliveira, o Diretor-Geral de Entretenimento da Impresa, e as dificuldades de dar vida a uma tranquila jovem da serra, sendo ela uma “menina da cidade” agitada.

“A parte mais difícil foi adaptar-me àquilo que é uma pessoa que vive na serra. Sou uma miúda de Lisboa, sou nova e estamos a viver numa geração que corre. Fazemos tudo à pressa, a nossa maneira de falar é a correr e quase que queremos debitar o texto a correr. Mas ela é uma miúda serrana, que vive no campo, com os animais, que vive com outros tempos. Tenho de agir de outra maneira, tive de combater isso em mim. Sou uma pessoa que vive muito a correr e a Fátima não é assim”, assume.

Apesar de ser uma das atrizes mais bonitas da sua geração e um exemplo para muitos jovens, Júlia Palha não se identifica com o rótulo de sex-symbol e revela: “Tenho complexos com o meu corpo também e é normal os outros terem. O que para nós é a mais para outros é menos. Não é o nosso corpo que está mal e tento transmitir que não faz mal gostarmos de nós próprias, como somos.”

A jovem atriz considera ainda que a nudez em cena faz parte da arte da representação.

Com um novo namorado, a estrela da novela “A Serra” confessa “estar muito feliz e apaixonada”. Casar-se e ser mãe é também um objetivo.