Lídia Franco, conversou com Rui Maria Pêgo e Ana Martins no podcast 'Era O Que Faltava', da Rádio Comercial. Recordou a carreira e acusou Adam Driver de a agredir quando estava a gravar uma produção internacional.

O episódio a que a atriz se refere terá acontecido enquanto gravava o filme 'O Homem Que Matou D. Quixote', de 2018, no qual o ator Adam Driver também integrava o elenco.

A atriz relembra Adam Driver como excelente ator, mas "péssima pessoa".

"Portou-se muito mal comigo, fisicamente. Agrediu-me"

Lídia Franco garantiu que a alegada agressão "não tinha nada a ver com a cena". Sem entrar em grandes pormenores, referiu "Era uma agressão camuflada, com uma cadeira".

Na altura, a atriz explica que a produção lhe deu autorização para sair, ainda que lhe tenham dito que "legalmente não podiam fazer nada".

A atriz recordou também que Adam Driver tinha uma exigência. "Ele exigia, acho que por contrato, que ninguém podia olhar para ele. Se olhassem, os figurantes eram imediatamente despedidos. E aconteceu".