Estrearam, esta segunda feira, os novos programas da manhã e da tarde da TVI. Perspectivados como "a grande novidade" do canal para 2021, a verdade é que, na minha linha de pensamento, não acrescentaram em nada ao que já se tem feito.

Quer um, quer outro, estão alojados em bons estúdios, com cor, simples e dinâmicos. Diria que beberam daquilo que foi 'O Dia da Cristina'.

Era impreterível o fim do histórico 'Você na TV!'. Cada programa, quando é criado, tem uma identidade, e o apresentador faz parte dela. Ora, este não é exepção. Quando recordámos o programa, vem-nos à cabeça a dupla Goucha e Cristina. Por isso, foi um erro terrível substituir a Cristina pela Maria Cerqueira Gomes, quando esta merecia um outro papel. Talvez se o programa tivesse sido criado na altura, ainda que com outra dupla, os números tivessem sido mais animadores.

Cláudio Ramos: “De repente, tinha o Nuno (Santos) a desafiar-me para dar o salto”
Após a entrevista intimista que Cláudio Ramos deu a Cristina Ferreira no programa “Conta-me” da TVI que foi emitido no primeiro dia de 2021, o agora apresentador do “Dois às Dez” sentiu a necessidade de desabafar nas suas redes sociais enaltecendo o diretor geral Nuno Santos.

'Dois às 10' mostra a fusão de um estúdio simples com uma dupla divertida.

Vamos ao estúdio. Não achei nada de especial. Fez-me lembrar muito os estúdios dos talk shows da RTP. Não vi nada de diferente. Já a conexão da Maria com o Cláudio, é sem dúvida, o grande ponto positivo. Apesar de não ser propriamente desconhecida, já que eles trabalharam inúmeras vezes na SIC, os dois têm uma boa relação e isso extravasa para o espectador. Se o programa tiver sucesso diria, que não se deve aos conteúdos, já que são os mesmos das ofertas dos outros canais, mas à ligação da dupla. Nunca achei o 'Você na TV!' um bom programa pelos conteúdos, mas sim pela dupla.

'Goucha' marca aquele que, para mim, é o melhor formato para o veterano apresentador. Ainda que considere uma cópia da fórmula já promovida pelos outros canais (Tânia Ribas de Oliveira na RTP1 e Júlia Pinheiro na SIC), o tipo de programa assenta a 100% na personalidade de Manuel Luís Goucha.

No entanto, o fim do 'A Tarde é Sua' poderia ser evitado, já que Fátima Lopes sempre conseguiu bons números, mas trazer o Goucha para as tardes foi a decisão mais acertada, nesta altura, para combater a concorrência feroz. Agora, não se deverá esquecer Fátima Lopes e o seu papel de destaque na televisão. O meu receio é que fique engavetada e, que, infelizmente, acabe por seguir outro caminho.