Paulo Rocha aproveitou a paragem na ficção brasileira, motivada pela pandemia, para aceitar este projeto em Portugal. No nosso país estão, também, a mulher, Juliana Pereira e o filho, José Francisco.

“A vida em família em Portugal está a ser intermitente, a minha mulher tem a vida profissional dela, é psicanalista e consegue fazer consultas via Zoom ou Skype, mas precisa de ir lá, eles vão embora mais cedo porque o Zé Francisco vai fazer três anos e entrar na creche e é importante para o desenvolvimento social dele”, admite Paulo Rocha à N-TV.

Vão ficar comigo até meados de fevereiro e depois junto-me a eles para gravar a nova novela do João Emanuel Carneiro. A ideia é mesmo voltar ao Brasil depois de março”, assegura.

O ator fala das diferenças de trabalho entre os dois países numa altura de condicionalismos por causa da covid-19. “Cá não se arrisca mais com a pandemia. A Globo tem seis ou sete mil pessoas nos estúdios e cá, na SP Televisão, somos 150 ao mesmo tempo, é mais fácil controlar e circunscrever o vírus”.

Quando à novela “Amor, Amor”, “as expetativas são altíssimas”. “O universo da música popular está muito enraizado e fala muito à alma do povo. Sou casado com a personagem da Joana Santos, tenho dois filhos maravilhosos. Ele é um homem de família, que luta para conseguir manter o clã unido e a vida que idealizou. Vai estar feliz pelo menos até ao momento em que começa a novela”, remata Paulo Rocha.

Pandemia adia projeto

Apesar de estar a gostar da experiência de voltar a gravar em Portugal, e acreditar que 'Amor Amor' poderá ser um sucesso nas audiências, Paulo Rocha já tem planos para regressar a terras de Vera Cruz, sua esposa.

A minha ideia inicial era recomeçar no Brasil no final de março, mas houve uma inversão das coisas e ainda não há uma data marcada para o arranque das filmagens do próximo projeto”, disse o ator. “As coisas estão paradas devido à pandemia, atrasou tudo. Eles já recomeçaram a gravar, mas estão a trabalhar a um ritmo muito mais lento e com uma série de condicionantes”, acrescentou.