O exemplo mais flagrante é João Baião. O apresentador foi a escolha de Daniel Oliveira para substituir diretamente Cristina Ferreira nas manhãs da SIC. Na verdade, João Baião já era presença assídua nas manhãs desde que Cláudio Ramos se mudou para a estação de Queluz, no início de 2020. De destacar, que mesmo depois do assalto que a TVI fez à SIC ao levar a apresentadora das manhãs, a direção do canal tentou ainda contratar João Baião mas este declinou o convite.

Diana Chaves também teve uma ascensão dentro da SIC exponencial: foi a eleita para fazer dupla com João Baião na “Casa Feliz”.

Com a agenda cheia, João Baião deixa de ser presença assídua no programa “Olhó Baião” aos fins-de-semana de manhã, entretanto terminado, permitindo mais destaque para João Paulo Sousa e Raquel Tavares que já vinham a ganhar destaque depois da saída de Maria Botelho Moniz para a TVI.

Com a saída de Diana Chaves do “Domingão”, depois de assumir as manhãs, Daniel Oliveira chama para a apresentação Débora Monteiro que tem sido uma aposta mais frequente para além do trabalho de atriz em “Amor Amor”.

Na TVI, a chegada de Cristina Ferreira também originou várias mudanças. Manuel Luís Goucha que há 30 anos apresentava no horário das manhãs e que sempre disse publicamente que queria deixar o daytime e ter, talvez, um programa semanal até ao final do seu contrato com a estação, previsto para dezembro de 2022, não só continuará no daytime como deixará as manhãs e passará a apresentar nas tardes o programa “Goucha”.

Com esta mudança, Fátima Lopes fica sem programa na grelha diária da TVI. Cristina Ferreira dar-lhe-á um programa ao fim de semana, apenas.

Cristina Ferreira trouxe igualmente mais visibilidade a Maria Cerqueira Gomes, que em final de contrato e com uma dispensa à vista decidida por Nuno Santos, viu o seu contrato renovado e a sua presença é cada vez mais frequente nos especiais que a diretora da TVI tem trazido para a antena assim como a apresentação alternada no “Somos Portugal” e no “Conta-me”.

Embora tenha sido dito que a decisão já foi de Nuno Santos, as manhãs foram entregues a Cláudio Ramos e Maria Botelho Moniz. Até então Maria era apresentadora de segunda linha nos diários do “Big-Brother” e Cláudio Ramos tinha sido afastado do principal formato da estação sendo substituído por Teresa Guilherme, também este um nome trazido para o ecrã pela apresentadora da Malveira.

A decisão menos unanime de Cristina Ferreira no canal pertencente a Mário Ferreira deve ter sido a repescagem de Rúben Rua. Embora tendo sido dispensado por Nuno Santos, a nova diretora de entretenimento e ficção decidiu ir busca-lo e deu-lhe o programa “Viva Vida” em que partilha apresentação com Helena Coelho, influencer escolhida por Cristina.

Nem tudo foram boas notícias para os profissionais da TVI e alguns contratos de exclusividade foram rescindidos: Sara Prata e Jessica Athayde.

Fonte: TV 7 Dias